Edições anteriores

  • REIVA Março - Edição mulheres
    v. 4 n. 02 (2021)

    Eu não sou livre enquanto alguma mulher não o for, mesmo quando as correntes dela forem muito diferentes das minhas. ” – Audre Lord (líder ativista pelos direitos civis das mulheres negras nos EUA)

     

    Infelizmente, vivemos em uma sociedade com bases quase exclusivamente masculinas, no cotidiano acadêmico a produção filosófica, artística e científica apresentam-se com mulheres notáveis, entretanto, secundarizadas através dos discursos e de práticas sexistas.

    A mulher sempre esteve presente nos momentos de construção e transformação da sociedade, mas, como todo grupo à margem, não teve sua participação mencionada na história. Para compreendermos essa dinâmica social, necessário trazer a baila alguns marcos históricos de conquistas femininas.

    A luta da mulher por equidade e respeito data de séculos, para ilustrar essa caminhada descrevemos as principais conquistas da mulher no Brasil: 1.827 – meninas são liberadas para frequentar a escola; 1.832 – a obra Direitos das Mulheres e Injustiças dos Homens é publicada; 1.879 – mulheres conquistam o direito ao acesso a faculdade; 1932 – Mulheres conquistam o direito ao voto; 1962 – É criado o Estatuto da Mulher Casada; 1977 – A Lei do Divórcio é aprovada; 1979 – Mulheres garantem o direito à prática do futebol; 1985 – É criada a primeira Delegacia da Mulher; 1988 – A Constituição Brasileira passa a reconhecer as mulheres como iguais aos homens; 2002 – “Falta da virgindade” deixa de ser crime; 2006 – É sancionada a Lei Maria da Penha; 2015 – É aprovada a Lei do Feminicídio; 2018 – A importunação sexual (em que a maioria das vítimas são as mulheres) passou a ser considerada crime.

    Todas essas conquistas, carregam dores, preconceitos, marginalização, violência, todavia, geraram buscas por discussões e reconhecimento sobre gênero, misoginia, feminismo e empoderamento feminino.

    Hoje as acadêmicas Gabriele Fagundes de Medeiros, Gleicikely Reis Silva, Dayane Pereira do Nascimento e Karin Felinto de Oliveira, partilham conosco o conhecimento através de artigos que contam sobre a violência doméstica e questões de gênero e raça; a participação da mulher no mercado de trabalho; a contribuição da mulher no ensino e na literatura; e o aumento da violência contra a mulher em tempo de pandemia; nos levando a refletir sobre o papel que esta vem desempenhando na sua sociedade atual, bem ainda as dificuldades que enfrenta frente a família, sociedade, o poder público e o direito.  

    Esta edição da revista REIVA, tão simbólica pelo mês da mulher e imponente pelos artigos apresentados, nos leva a repensar a família, os modos de violência e racismo, a participação da mulher na educação e na academia e, ainda trará o sentimento de pertencimento as meninas que hoje entram numa faculdade, o reconhecimento de professoras que contribuem todos os dias para a formação de profissionais e o orgulho de saber que novas mulheres estão sendo inseridas no mercado de trabalho, com educação, representatividade, respeito e dialogo com a sociedade. Esta é a luta pelos direitos da mulher!

     

     

    Boa leitura!

     

    Profª. Juliana Maussara

    Profª. Graciele Araújo




  • Edição de Maio de 2024
    v. 7 n. 02 (2024)

    Prezados Leitores

     

    Essa edição de maio é um convite à leitura de temas distintos mas igualmente relevantes para a pesquisa.

    Desejamos uma boa leitura!

     

     

     

    Profa. Dra. Graciele Araújo de Oliveira

  • Ciências Contábeis
    v. 7 n. 01 (2024)

    Prezados Leitores

     

    É com grande prazer que apresentamos o prefácio desta revista de estudo interdisciplinar, dedicada à área de contabilidade e com ênfase em trabalhos de conclusão de curso de ciências contábeis.

    A contabilidade é uma disciplina de extrema importância para o mundo dos negócios e a tomada de decisões estratégicas. Ela fornece informações essenciais para a gestão financeira, o planejamento tributário, o controle de custos e muitas outras áreas fundamentais das organizações.

    Neste contexto, apresentamos uma revista que busca promover a interdisciplinaridade, explorando as conexões entre a contabilidade e outras áreas do conhecimento. Sabemos que a contabilidade não se limita apenas aos aspectos técnicos, mas também se relaciona com a economia, finanças, direito, sociologia, psicologia e diversas outras disciplinas.

    Nosso objetivo é incentivar a produção de trabalhos de conclusão de curso de ciências contábeis que abordem temas relevantes e inovadores, que explorem a aplicação da contabilidade em diferentes contextos e que contribuam para o avanço do conhecimento nesta área.

    Nesta revista, você encontrará artigos de pesquisadores e estudantes que se dedicaram a investigar temas complexos, trazendo novas perspectivas e insights para a contabilidade.

    Esperamos que esta revista seja uma fonte de inspiração e conhecimento para todos os profissionais e estudantes interessados em contabilidade e nas possibilidades interdisciplinares que ela oferece. Desejamos uma ótima leitura e que os trabalhos apresentados despertem seu interesse e estimulem novas reflexões.

    Ótima leitura a todos!

     

    Professora Coordenadora Denise Gomes Barros Cintra

  • Edição outubro a dezembro - Meio ambiente e desenvolvimento sustentável
    v. 6 n. 04 (2023)

    É com grande satisfação e entusiasmo que apresentamos a edição especial da Revista Interdisciplinar do Vale do Araguaia, produzida pela Faculdade de Jussara. Este volume destaca-se por abrigar uma compilação de artigos provenientes da produção acadêmica dos alunos dos cursos de Ciências Contábeis e Direito, com uma ênfase especial na temática ambiental.

    O Vale do Araguaia, região de extrema importância e riqueza natural, serve como pano de fundo para a discussão de diversos temas relacionados ao meio ambiente. A interdisciplinaridade aqui representada reflete a compreensão de que a preservação ambiental não é uma responsabilidade exclusiva de uma única área de conhecimento, mas sim um esforço conjunto que envolve diferentes perspectivas e abordagens.

    Dentre os temas abordados, destaca-se a "Contabilidade Ambiental e a Utilização dos Recursos Hídricos na Região do Vale do Araguaia", trazendo reflexões sobre a importância da gestão responsável dos recursos naturais locais. A análise dos "Passivos Ambientais" oferece insights valiosos sobre as consequências das ações humanas no ambiente, enquanto "Impactos da Agricultura no Rio Araguaia" traz à luz a interconexão entre atividades agrícolas e a saúde dos ecossistemas fluviais.

    Ainda, exploramos dois eventos que marcaram a história recente e evidenciam a fragilidade ambiental: "O Rompimento da Barragem de Brumadinho e o Desastre Ambiental de Chernobyl". Estes casos ilustram as consequências devastadoras de falhas na gestão ambiental e ressoam como alertas sobre a importância de medidas preventivas.

    Adentrando a Amazônia, abordamos os "Impactos dos Desmatamentos no Norte do Brasil", cientes de que a preservação dessa vasta e biodiversa região é crucial não apenas para a fauna e flora locais, mas para o equilíbrio ambiental global. Por fim, a discussão sobre a "Economia Circular" oferece uma perspectiva inovadora para promover a sustentabilidade econômica ambiental, estimulando a reutilização e reciclagem de recursos.

    Esta edição da Revista Interdisciplinar do Vale do Araguaia representa um passo significativo na promoção do diálogo e na disseminação do conhecimento sobre questões ambientais. Esperamos que os artigos aqui reunidos inspirem a reflexão, fomentem o debate e incentivem ações práticas em prol da preservação do nosso precioso meio ambiente.

    Agradecemos a todos os envolvidos, desde os autores até os revisores, pela dedicação e contribuição para a realização deste projeto. Que esta publicação seja apenas o início de um compromisso contínuo com a conscientização e ação em prol de um futuro sustentável para o Vale do Araguaia e para o planeta como um todo.

     

    Profa. Esp. Denise Gomes Barros Cintra 

  • Direito -Artigos selecionados
    v. 6 n. 03 (2023)

     

    Prezados leitores,

     

                Cumprindo-se a meta de implementar mais uma edição da Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia – REIVA, contempla conteúdos transversais com o propósito de alcançar maior visibilidade no meio acadêmico e continuar na busca contínua de ser fonte qualificada de pesquisa em variadas áreas. Segue primordialmente, respaldada pelo trabalho das coordenações dos cursos superiores da Faculdade de Jussara – FAJ, em especial a coordenadora da revista REIVA a Professora Doutora Graciele Araújo de Oliveira, com o propósito de construir em um canal constante e qualificado de reflexão e referência de consulta na seara interdisciplinar, além de disseminar conhecimento que guarde pertinência com a dinâmica acadêmica.

                A seguinte edição, versa fomentar o debate jurídico, social, cultural, tecnológico, ambiental... vivenciando experiências contemporâneas, tanto de um ponto de vista teórico, quanto prático, e em diferentes áreas. Assim sendo, a nova edição da REIVA, compõe-se de artigos inéditos com diferentes questões-chave da experiência acadêmica social contemporânea com enfoque interdisciplinar, buscando relacionar esses debates específicos com a realidade jurídico-político-social-contemporânea balizada por um diferencial de novos conteúdos sistematizados para promover e capacitar habilidades e competências.

                Assim, a nova edição, edita e divulgam amplamente as convocatórias para apresentação de artigos, uma decisão, por definição, a obra que se projetou e ora se apresenta é conjunto que traz à tona o esquecimento e dificuldade contrastados ao chamado de responsabilidade ao esforço de se pensar no limite da experiência que se refaz pela pesquisa do conhecimento. Ao buscar abrir um espaço para que a prática da pesquisa e da escrita concretize-se com a força do conflito que por vezes vai muito rapidamente resolvido – mas não decidido – jurisdicional, administrativa, ou legislativamente – e mesmo academicamente, em textos que aqui e ali que se dedicaram e se dedicam a conhecer e desenvolver as diversas áreas de estudo, mas não necessariamente pensa-la – quis-se inscrever o chamado à coragem de se demorar e aprofundar na tensão entre o presente da atualização e a potência de ainda se surpreender na retomada de um texto que já supera consideravelmente a duração média de seus pares, transformando na petição dessa superação da submissão do artigo pretendido. Aproximando cada dia mais as fontes de pesquisas e estudos da comunidade acadêmica, compartilhando e disseminado conhecimentos com a finalidade precípua de promover o aprimoramento intelectual.

                Desejo a todos uma ótima leitura e que esta provoque a vontade e inspiração para participar de novas edições da Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia - REIVA, dessa jornada incessante em busca de uma classificação acadêmica de excelência.

                Construindo novos caminhos, contamos com sua valorosa contribuição.

     

     

    CLÁUDIA ELAINE COSTA DE OLIVEIRA

    Coordenadora do Curso de Direito - FAJ

     

  • Edição de Abril a Junho
    v. 6 n. 02 (2023)

    Caros leitores,

    É com grande prazer que apresentamos a edição de nossa revista interdisciplinar, dedicada nesta edição as áreas de contabilidade gerencial, controladoria, passivos ambientais, importância da gestão financeira nas empresas e normas internacionais de contabilidade. Este é um momento de aprimorar conhecimentos em que reunimos artigos acadêmicos que demonstram perspectivas sobre esses temas cruciais para a sustentabilidade e o sucesso das organizações modernas.

    A contabilidade gerencial e a controladoria são fundamentais para a tomada de decisões estratégicas e o monitoramento do desempenho organizacional. Nesta revista, exploraremos as práticas mais recentes nessas áreas, fornecendo insights valiosos sobre como otimizar os processos contábeis e de controle interno, bem como melhorar a qualidade das informações gerenciais. Abordaremos também a importância da governança corporativa e da ética na contabilidade, promovendo uma abordagem responsável e transparente.

    Além disso, daremos destaque aos passivos ambientais, um tema cada vez mais premente no contexto atual. Com as preocupações crescentes sobre o impacto ambiental das organizações, é essencial compreender os aspectos contábeis e financeiros associados a esses passivos, bem como as melhores práticas para sua mensuração, relato e mitigação. Nossos artigos irão explorar os desafios e as oportunidades enfrentados pelas empresas nessa área, oferecendo soluções práticas e estratégicas.

    Reconhecemos também a importância da gestão financeira nas empresas. Uma gestão financeira eficaz é essencial para o crescimento e a sustentabilidade de qualquer organização. Ao longo desta revista, exploraremos as melhores práticas em áreas como orçamento, análise de investimentos, gestão de riscos financeiros e estrutura de capital.

    Por fim, abordaremos as normas internacionais de contabilidade, um conjunto de diretrizes cruciais para a harmonização das práticas contábeis em escala global. A compreensão dessas normas é fundamental para empresas que operam em um ambiente internacional, garantindo a comparabilidade e a transparência das demonstrações financeiras. Os artigos irão explorar os principais padrões contábeis internacionais, destacando seus impactos e implicações para os profissionais da área.

    Esta revista interdisciplinar foi concebida com o objetivo de reunir diferentes perspectivas e conhecimentos, proporcionando aos leitores uma visão abrangente e atualizada sobre os tópicos citados. Esperamos que os artigos aqui apresentados inspirem e estimulem o diálogo e a colaboração entre os profissionais e acadêmicos envolvidos nessas áreas, impulsionando o desenvolvimento e a inovação em nossas práticas.

    Agradecemos sinceramente a todos os autores, revisores e colaboradores que tornaram possível a realização desta revista.

     

    Profa. Esp. Denise Gomes Barros Cintra 

  • Edição de Agronomia - Ecologia e Meio Ambiente
    v. 6 n. 01 (2023)

    Prezados Leitores

    Nesse primeiro número de 2023, sexto ano da REIVA, nossa revista traz artigos da primeira turma de Agronomia da Faculdade de Jussara.

    Os artigos aqui publicados foram selecionados ao longo do semestre na disciplina Ecologia e Manejo Ambiental, coordenada pela Prof. Dra. Graciele Araújo de Oliveira, e trazem reflexões dos discentes acerca de temas, como: Agricultura Sintrópica, Agroecologia e Produção animal sustentável.

    Já na REIVA, os cinco artigos foram novamente revisados pela Prof. Ma. Amanda de Oliveira Souza quem considerou os trabalhos surpreendentes.  Segundo a Profa. Amanda, "os discentes foram claros e diretos sobre a sua visão das temáticas abordadas e trabalharam de forma coesa as informações contidas nos artigos, que são de relevância para a atualidade. Mediante a escrita, pôde-se dizer, que a mesma encontra-se apta para o nível dos discentes. As referências utilizadas pelos alunos, são atualizadas e condizentes com a atualidade. Por demais, os estudantes merecem parabéns pela dedicação e pela contribuição para a revista!"

    Agradecemos o apoio da Coordenadora do curso, a Profa. Ma. Camila Santos e desejamos a todos uma excelente leitura!

     

     

    Profa. Dra. Graciele Araújo de Oliveira

    Editora Chefe da Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia

  • Edição outubro a dezembro
    v. 5 n. 04 (2022)

    Prezados leitores

     

    Chegamos ao último número do ano da REIVA!!!

    E que ano! 2022 foi um ano de muitos projetos concretizados para nós do corpo editorial da Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia. Conseguimos expandir a área de publicação, assim como o corpo editorial e de revisores. 

    Para o número atual, os leitores terão acesso à artigos selecionados da área do Direito, abordando desde o direito ambiental, à questão religiosa, até importantes aspectos da política.

    Destacamos a importância da leitura para acadêmicos, não somente do curso do Direito mas para toda comunidade acadêmica.

     

     

    Aproveitamos para desejar uma boa leitura, Feliz Natal e um 2023 de muita pesquisa e publicações!

     

     

     

     

    Editora Chefe

    Profa. Dra. Graciele Araújo de Oliveira

  • Edição julho a setembro
    v. 5 n. 03 (2022)

    Prezados Leitores, sejam bem vindos a mais uma edição da REIVA!

     

    Na edição julho a setembro, traremos os trabalhos de conclusão de curso de Ciências Contábeis da Faculdade de Jussara com os mais diversos temas, como Contabilidade Rural, Contabilidade Tributária, Ambiental, Auditoria dentre outros.

    Nosso maior objetivo é incentivar nossos alunos à desenvolverem e se familiarizarem com a escrita científica, valorizando o conhecimento regional.

     

    Além disso, a REIVA traz como artigos convidados: O ensino da língua inglesa à luz da cultura e da interculturalidade e A desarmonia estética através da poluição visual: uma análise no centro urbano da capital do Ceará.

     

     

    Desejamos a todos, boa leitura!

     

     

    Profa. Dra. Graciele Araújo de Oliveira

  • Compilado de Artigos - Ciências Contábeis e Direito
    v. 5 n. 02 (2022)

    Toda publicação de um artigo científico o é uma maneira de transmitir à comunidade técnico-científica o conhecimento de novos caminhos, novas descobertas, e o desenvolvimento de novos materiais, técnicas e métodos de análise nas diversas áreas da ciência.

     

    Na Faculdade de Jussara, a publicação e a transmissão do conhecimento é algo levado à sério.

     

     

    Essa é uma Edição especial, voltada para trabalhos dos grupos de pesquisa da Faculdade de Jussara, que foram desenvolvidos em 2021.

     

    Desejamos boa leitura!

     

     

    Atenciosamente

     

    Profa. Graciele Araújo de Oliveira

  • Edição especial - Direito Econômico e Desenvolvimento Sustentável
    v. 5 n. 01 (2022)

    A primeira edição da REIVA  de 2022 trará uma discussão sobre Direito Econômico e desenvolvimento sustentável especificamente em relação ao agronegócio.

    Durante todo o processo de colonização, até os dias atuais, o Brasil demonstra grande crescimento ligado à produção de produtos agroindustriais, como a carne, cana-de-açúcar, o café, a laranja, a soja, o milho e tantos outros.

    De acordo com o IBGE, o setor do agronegócio foi o único com resultado positivo no primeiro trimestre de 2020, diferentemente da economia, que teve uma baixa de 0,3% comparado com 2019. 

    Dada a relevância do setor, assim como a comunidade na qual a Faculdade de Jussara está inserida, foram desenvolvidos estudos afim de trazer essa discussão para sala de aula.

    Os artigos que compõem essa edição foram desenvolvidos pelos alunos do Direito sob orientação da Prof. Graciele em 2021 e conta com um artigo convidado desenvolvido com trabalho de conclusão de curso.

  • CIÊNCIAS CONTÁBEIS: Administração Financeira e Auditoria
    v. 4 n. 05 (2021)

    A gestão financeira é um conjunto de ações e procedimentos administrativos que envolvem o planejamento, a análise e o controle das atividades financeiras da empresa. Uma correta administração financeira permite que se visualize a atual situação da empresa, o que se torna uma ferramenta fundamental para o exercício do trabalho do profissional de Ciências Contábeis.

    Por sua vez, a auditoria contábil tem por finalidade principal a certificação dos registros contábeis quanto à sua veracidade e conformidade com as Normas Brasileiras de Contabilidade, expondo os resultados a que chegou e por inferência emitindo um Relatório de Auditoria com a opinião do Auditor.

    Todos os trabalhos dessa edição foram desenvolvidos por alunos do curso de Ciências Contábeis da Faculdade de Jussara ao longo do semestre letivo.

     

    Parabenizamos todos autores!

     

     

    Boa leitura

     

    Profa. Graciele Araújo de Oliveira

    Editora Chefe

     

  • Edição especial: Direito
    v. 4 n. 04 (2021)

    A Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia – Reiva –, nesta edição, traz trabalhos produzidos pelos graduandos 2020, do curso de bacharelado em Direito da Faculdade de Jussara – UniFaj.  Com temas diversos, que englobam a ciência jurídica, os artigos publicados abordam discussões que se relacionam com os dispositivos do Direto e a problemática das greves, o Direito ambiental, o abuso de poder, Direito de família, Mídias sociais e leis de proteção dos usuários, a justiça paliativa, a diversidade dos tipos de família no Brasil, Direito Internacional e Direito constitucional e tributário.

    Dentre tais áreas e temáticas do Direito, as autoras Adenisia Alves de Freitas e Cláudia Elaine Costa de Oliveira apontam as problemáticas geradas pelos “lixões”, examinados sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos, em diálogo com o Direito Ambiental, observando os dispositivos constitucionais, legislativos e regulamentos da Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Com desdobramento ao auto processual que ensejou a instauração do Consórcio Intermunicipal do Meio Ambiente (CIMA), celebrado no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Estado de Goiás, com abrangência as cidades de Jussara, Novo Brasil, Fazenda Nova, Santa Fé de Goiás, Itapirapuã, Britânia, Matrinchã e Montes Claros de Goiás, intitulado “O(S) dono(s) do(s) resíduo(s): perspectivas do direito ambiental na teoria intergeracional com aplicabilidade no CIMA entre 2010/2020”.

    Em “Direito de greve do servidor público e sua aplicabilidade aos militares”, a autora Almeida Silva, analisa o direito de greve do servidor público, destacando a problemática vivenciada por tais trabalhadores diante da não legalidade de um direito imposto pela própria Constituição Federal, com foco no corpo militar de servidores públicos. Os pesquisadores Andressa Costa Oliveira e Rafael Machado de Sousa, no artigo “A responsabilidade do Estado frente à lei 13.869/19: uma análise do agente e da autoridade”, realizaram uma discussão a partir do conceito de Estado e autoridade, a evolução histórica da lei, visto que o abuso de autoridade já era cometido há longo tempo. Também abordam o contexto da Nova Lei de Abuso de Autoridade visto que foi um diploma normativo que causou grande alvoroço e diversos (des)entendimentos jurídicos.

    Já em “Alienação parental: reflexos sobre falsas acusações de incesto”, Danielli Cordeiro Guimarães Santos e Gisley Alves de Faria, contribuem para o Direito Civil na esfera familiar, com o objetivo de estimular o conhecimento sobre a Alienação Parental, afim de extinguir a Síndrome da Alienação Parental (SAP), tornar mais claro o que é essa Síndrome e seus possíveis sinais. E assim, afirmam que se trata a Alienação Parental de uma campanha desmoralizadora e que desqualifica a pessoa do genitor, trazendo consequências gravíssimas psicologicamente ao alienado e a criança/adolescente usada como instrumento de desafeto, com o objetivo de afastar ambos. Também com diálogos interdisciplinares com a psicologia jurídica e o Direito, como a pesquisa acima, os autores Heli Fernandes de Freitas e Rafael Machado de Souza, no artigo intitulado “A lei 13.968/2019 e a criminalização da participação na automutilação, promovem uma análise de vários aspectos da Lei nº 13.968/2019, que alterou o artigo 122 do Código Penal, tipificando as condutas de induzimento, instigação ou auxílio à automutilação, baseiam-se na problemática emergida através do avanço tecnológico pelo qual passa a sociedade moderna e a preocupação social de coibir determinadas condutas perniciosas que se propagam em grande velocidade, especialmente por meio das mídias sociais, como as do suicídio e da automutilação.

    Os autores Marcos Paulo Maciel Santos e Victor Henrique Fernandes e Oliveira analisam de modo crítico a aplicação da Justiça Restaurativa como uma medida paliativa para o sistema penal brasileiro, com o escopo de mitigar os conflitos e/ou a violência solucionada pelo direito, no artigo “Justiça restaurativa: medida paliativa para o sistema penal brasileiro, como escopo de mitigar os conflitos e/ou violência na sociedade”. Já sobre o Direito de Família, pensando sobre o conceito de família e as várias definições a ela atribuída, visto que, no decorrer da história, vários foram os parâmetros para sua conceituação, seja correspondendo a indivíduos ligados por laços consanguíneos ou sentimental, afetiva, é o tema desenvolvido no artigo intitulado “Os diversos tipos de famílias no Brasil”, dos autores Maria Auxiliadora dos Santos e Rafael Machado de Souza.

    Sobre o Direito Internacional, os autores Rayner Pablo Silva e Ingrid Soares analisam o controle fronteiriço de forma histórica antes de fazer com ele um paralelo entre a discricionariedade estatal e o limite deste com os Direitos Humanos, buscando trazer esses apontamentos à realidade brasileira, no trabalho “Controle migratório: o limite entre Direitos Humanos e discricionaridade estatal”. E por fim, a discussão acerca da inconstitucionalidade da apreensão do veículo com Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotor - IPVA inadimplente no Estado de Goiás, é feito no artigo “A inconstitucionalidade da apreensão do veículo com IPVA inadimplente no estado de Goiás”, dos autores Ana Carolina de Freitas Inácio e Rafael Machado de Souza, analisando a inconstitucionalidade da apreensão, a forma que os veículos são licenciados no Estado de Goiás, a competência dos tributos perante a Constituição Federal, o inadimplemento do IPVA e suas consequências quando não pago, e de como seria o processo legal para que a Administração Pública pudesse cobrar esse imposto, abordando a Lei 6.830/80 que regula a forma de cobrança dos tributos.

    Dessa forma, os artigos aqui reunidos pretendem fortalecer o espaço de discussão e compartilhamento de conhecimentos da Revista Reiva, constituindo-se como locús plural de produções, de áreas e temas atuais, necessários para a compreensão da sociedade contemporânea. Por meio das diferentes perspectivas e abordagens, a equipe editorial e os pesquisadores que aqui publicam seus trabalhos, acreditam que a ciência ganha sentido na sua relação com o mundo social em que se insere, assim, desejamos que apreciem a leitura e os saberes aqui produzidos.

     

    Profª Mestra Analice de Sousa Gomes

    EDITORIA DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS, LETRAS E ARTES - REIVA

  • REIVA ( Abril a Junho)
    v. 4 n. 03 (2021)

    Prezados Leitores,

     

     

    Nessa edição, a REIVA trará aos leitores, estudos inéditos de Auditoria Contábil com trabalhos sob orientação da Profa Denise Cintra.

    Além disso, teremos dois trabalhos na edição especial, abordando biologia e jogos na contabilidade.

     

     

    Desejamos boa leitura!

     

    Editora Chefe

    Profa Me Graciele Araújo de Oliveira

  • Edição de Lançamento da Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia
    v. 1 n. 01 (2018)

    APRESENTAÇÃO: REVISTA DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES DO VALE DO ARAGUAIA E I MOSTRA CIENTÍFICA DE DIREITO AMBIENTAL DA FAJ

    Geraldo Miranda Pinto Neto[1]

     

                A edição n° 1, ou seja, o lançamento da Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia (REIVA), organizada pela Faculdade de Jussara (FAJ), traz como temática central as discussões e reflexões que envolvem o Direito Ambiental. Os trabalhos publicados nessa edição, em sua maioria, são resultados da I Mostra Científica de Direito Ambiental da FAJ e são de autoria de estudantes do 7° período de Direito da instituição.

                A partir das últimas décadas houve uma efervescência do debate sobre o meio ambiente, principalmente em decorrência da percepção dos recursos naturais enquanto limitados e da ameaça de extinção da vida humana. Há uma necessidade de refletir e compreender sobre os aspectos que circundam os seres humanos: o meio ambiente artificial, natural, do trabalho e patrimônio histórico. Tais situações demonstram o exercício reflexivo presente na edição de tal revista.

                A proteção do meio ambiente está diretamente relacionada com três fatores básicos. O primeiro deles envolve a necessidade de compreender o meio ambiente enquanto um elemento essencial para garantir uma sadia qualidade de vida, ou seja, está diretamente relacionado com a perspectiva da saúde humana. O segundo fator envolve a perspectiva transgeracional do debate sobre o meio ambiente, ou seja, não basta proteger para a geração presente, mas também é necessário garantir direitos futuros através do acesso à recursos naturais [água, fauna, flora, natureza, dentre outros]. O último fator necessário compreende a necessidade de visualizá-lo como um direito coletivo, ou seja, incumbe à todos o dever de preservá-lo e é um direito indivisível, indeterminável e pertencente à todos os seres humanos. Tais fatores estão devidamente amparados pela Constituição Federal em seu artigo 225.

                Apesar da expressa previsão constitucional sobre os elementos levantados acima, são facilmente identificados conflitos, desastres e emblemas que violam o direito ao meio ambiente sadio e equilibrado. Existem situações internacionais, nacionais e regionais que demonstram violações ao direito de todos sobre o meio ambiente, demonstrando um descompasso em relação às normas de proteção e a realidade fática.

                Nesse sentido, os artigos da presente revista surgem para contextualizar o ensino do direito ambiental. Para além do estudo das diversas normas, princípios e institutos jurídicos que envolvem o direito ambiental [na disciplina do 7° período] foi exigido dos discentes [agora, autores e autoras] uma pesquisa científica feita sobre determinado conflito emblemático que envolve a tutela do meio ambiente. O objetivo central de tais trabalhos é compreender e refletir sobre tais conflitos, analisando as consequências de tal problema no âmbito jurídico [violação de princípios, normativas, ações judiciais cabíveis, responsabilidade pelo dano causado, dentre outros].

                Nesse caminho, a revista conta com inúmeros resumos expandidos voltados para a reflexão sobre casos emblemáticos de violação do direito ao meio ambiente justo e equilibrado. Alguns desses casos são de natureza regional, como o desvio de água do Rio Araguaia no município de Jussara-GO e a nascente do Córrego Palmeirinha em Itapirapuã-GO; outros conflitos ganharam destaque nacional, como a queimada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO), a Transposição do Rio São Francisco (Nordeste) e a matança do boto na região Amazônica. Há ainda uma produção científica que reflete sobre o dano ambiental causado pelo desastre do Césio 137 no Estado de Goiás há mais de 30 anos.

                A primeira edição da Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia (Reiva) conta com uma vasta produção bibliográfica sobre violações e proteção do direito ao meio ambiente, analisando conflitos e demonstrando um panorama jurídico sobre a situação concreta.

                Boa leitura!!

     

    Geraldo Miranda Pinto Neto

     

     

    [1] Bacharel em Direito pela UFG-RCG e Mestre em Direito, Estado e Constituição pela UnB. Professor de Direito Ambiental e Constitucional da Faculdade de Jussara (FAJ) e Professor do Centro Universitário de Goiatuba – Unicerrado. Docente coordenador da I Mostra Científica de Direito Ambiental da FAJ. Correio eletrônico: neto.gmpn@gmail.com.

  • REIVA (jan a mar)
    v. 4 n. 01 (2021)

    APRESENTAÇÃO

     

    Nenhuma instituição sobrevive muito tempo,

    se não for capaz de reformar-se, adaptar-se

    a cada instante às exigências do seu tempo,

    mantendo-se fiel ao seu papel histórico.

     

    Jacques Verger

     

    Fazer ciência, produzir o conhecimento científico na pós-modernidade demanda um espírito de cooperação e um constante questionamento acerca dos eventos humanos e sociais.

    Como assevera Novaes (2014), a ciência desponta em face da necessidade dos indivíduos de compreenderem os fatos e as manifestações do espaço natural a partir de avaliações que ultrapassam os critérios dos tempos medievais.  Se por um lado a ciência parte de métodos rígidos de experimentação e análise, o senso comum serve-se da convicção na existência do sobrenatural como um requisito da existência da verdade. Com o começo da Idade Moderna e o surgimento do positivismo, houve um momento de rejeição ao que era sobrenatural e à religiosidade e todas as definições de fé e revelação foram renegados, cabendo ao campo da ciência formatar uma nova manifestação sobre a existência, a natureza, o trabalho e o universo.

    Nos tempos atuais, na confluência das teses científicas da modernidade e da pós-modernidade, procura-se enxergar uma sociedade marcada por um processo de descontinuidade, na tentativa de engendrar um pensamento que consiga investigar criticamente as experiências sociais, epistemológicas e cognitivas (VEIGA NETO, 1998). Afinal de contas, conforme declina Boaventura de Sousa Santos (2002), a modernidade é assentada num projeto com base nos pilares da regulação e da emancipação, prezando-se pela constituição da comunidade, do mercado e do Estado e a lógica da racionalidade, da liberdade e da subjetividade.

    Foi pensando nestas transformações proporcionadas pelo espírito da ciência e do pensamento humano, que os acadêmicos do 8° período de Ciências Contábeis/2020 produziram os artigos científicos que contemplam esta edição: o conhecimento aqui investigado permite que se desenvolva uma constante reflexão sobre a função da universidade no cenário pós-moderno, num momento histórico-cultural em que as exigências e as demandas do mercado de trabalho são cada vez mais evidentes, sobretudo no universo contábil que observa e é afetado pelos desdobramentos do capitalismo global. A referida área, em sua essência, demanda o rompimento com uma visão simplista da Contabilidade e um chamamento por diálogos mais abertos, em face das irracionalidades do capitalismo moderno.

    Ao analisar o cenário em comento, os acadêmicos Ney Vitor Paiva Mendonça em co-autoria com a Professora Especialista Denise Gomes Barros Cintra e Thiago Rocha de Jesus, em co-autoria com o Professor Bruno de Ávila Debom Rey desenvolveram suas pesquisas sobre as relações entre a história do trabalho e suas interfaces com a contabilidade, a perícia contábil e a evolução do trabalho do contador ao longo dos anos. No artigo Contextualização histórica do surgimento das leis trabalhistas no Brasil e sua correlação com o universo contábil: um diálogo teórico, Ney Victor e Denise trazem à baila às principais modificações das leis trabalhistas no Brasil, ao longo da história, apresentando sua evolução e os efeitos destas alterações no universo da Contabilidade. O artigo traz, através de uma revisão bibliográfica, visões anacrônicas e modernas das relações de trabalho e suas convergências com o texto constitucional de 1988, revelando sua pertinência do ponto de vista acadêmico, institucional e científico.

    De lado outro, porém na mesma vertente do conhecimento, Thiago e Bruno desenvolvem a pesquisa intitulada Perícia Contábil e a tabela price: um estudo bibliográfico sobre as vertentes utilizadas pelo perito assistente na defesa de ações revisionais em face das instituições financeiras e nos mostra, de modo mais prático, o desenvolvimento de um trabalho importante no cenário de uma das profissões que esta ciência almeja: a do perito. De forma robusta, eles apresentam a pertinência da perícia contábil e do perito assistente nas ações judiciais revisionais propostas por instituições financeiras ou tendo-as no polo passivo da ação, nos financiamentos empreendidos sob a égide da tabela price, missão esta que demanda conhecimento técnico, impessoalidade e sintonia com o princípio da verdade real.

    Se por um lado as investigações nos trouxeram estudos e debates sobre a história do trabalho com foco na Contabilidade, insta frisar que houve também uma substancial preocupação sobre a profissão do contador em face das tecnologias digitais da informação e da comunicação (TDICs). Os acadêmicos Ana Flávia de Jesus e João Pedro Aparecido de Oliveira, ambos em co-autoria com o Professor Clesiomar Rezende desenvolveram respectivamente as pesquisas intituladas Impactos e desafios com a nova obrigação acessória EFD – REINF e A implantação e os benefícios dos documentos eletrônicos pós SPED. Ambas as investigações mostram, com propriedade, práticas contábeis no contexto da pós-contemporaneidade, mediadas pelas tecnologias digitais, tão presentes no nosso cotidiano e que facilitam o acesso dos profissionais a uma grande variedade de informações disponíveis nas plataformas virtuais e que hoje reconfiguram a natureza e as relações profissionais.

    Os artigos Contabilidade e planejamento tributário: um estudo sobre a redução da carga tributária para micro e pequenas empresas do acadêmico Antônio José Rebouças da Rocha e do Professor Especialista Djalma Aparecido de Brito,  Contabilidade de Custos: relevância e influência na gestão das empresas e auxílio na tomada de decisão empresarial, da acadêmica Elza Vitória Hemily Vieira Adriano e do Professor Especialista Clesiomar Rezende, O auxílio da Contabilidade para a tomada de decisões: um estudo teórico, da acadêmica Heloísa Alves Mesquita, em parceria com a Professora Especialista Denise Barros, Planejamento tributário: lucro real x lucro presumido do acadêmico Igor Gomes de Carvalho e do Professor Mestre Edson Júnior Santana e Planejamento tributário: conceitos e práticas, da acadêmica Nataly Pereira Arruda em co-autoria com o Professor Especialista Djalma de Brito trazem diversas contribuições no campo do trabalho e do planejamento na vida do contador, mormente em temas tão relevantes como tributação, gerenciamento e organização de uma empresa.

    Guardam também consonância com um intenso trabalho de revisão bibliográfica os trabalhos A ITG 1000 nas micro e pequenas empresas: um estudo teórico de José Vinícius Mendes de Morais e da Professora Especialista Denise Barros, Tributação na Pecuária: peculiaridades entre pessoa física e pessoa jurídica de Rackel Ferreira dos Santos e da  Professora Mestra Graciele Araújo de Oliveira  e A importância das informações contábeis voltadas para às microempresas de Vinícius Andrade Silva e do Professor Especialista Djalma Aparecido de Brito, com abordagens sensíveis às Ciências Contábeis, como a nova reconfiguração da escrituração contábil na atualidade, formas alternativas de tributação e a temática afeta às informações contábeis e sua pertinência dentro das microempresas.

    Subjaz à intenção de condensar os intentos dos autores das investigações acima, a ocasião para requestar aos leitores que naveguem nas análises e diálogos aqui empreendidos, a partir de estudos bem direcionados pelos autores e do desejo de usar o conhecimento para transformar o espaço em que vivemos. Aqui se desvela oportunidades de enxergar um intercâmbio de saberes na seara da interdisciplinaridade.

    Faz-se mister destacar, e aqui chamo a minha condição de Professor de Trabalho de Conclusão de Curso, o imenso contributo da Professora Coordenadora Denise Barros, que não mediu esforços para incentivar os discentes na busca incansável pelo o que a ciência nos proporciona: mais do que conhecer livros e autores, ela nos possibilita enxergar formas alternativas de fazer do homem um ser mais humano, mais racional e mais consciente da sua função de partilhar e servir ao próximo. Muito obrigado, Denise!

    Espera-se, pois, que esse conjunto de textos possa contribuir para a definição de caminhos individuais e coletivos capazes de fazer com que nossos acadêmicos realizem suas escolhas e sintam-se livres para decidir sobre suas vidas, especialmente no campo profissional.

     

                                                                                       Professor Sanderson M. Peixoto

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • REIVA (Outubro a Dezembro)
    v. 3 n. 04 (2020)

    Prezados leitores,

    Sejam bem vindos a leitura da revista eletrônica REIVA.

    No intento de apresentar-lhes sobre o conteúdo apresentado nesta edição da revista Reiva, podemos nos ater na seguinte frase, dita por um dos investidores mais importantes do mercado financeiro global, o fabuloso Warren Buffet “A Contabilidade é a linguagem dos negócios”.  

    Inclinado a esse foco, sabemos que a contabilidade move o mundo em vários sentidos, pois onde se fala em moeda, economia e finanças, lá esta essa ciência social, preparando todo o suporte para fornecer informações tempestivas.

    Atrelada a Ciência contábil, a Auditoria Contábil, é a ferramenta de revisão e complementação de todo o trabalho contábil, é o selo de confiabilidade atribuído aos relatórios contábil e financeiro de uma organização. Nesse sentido os acadêmicos do curso de Ciências Contábeis da faculdade de Jussara, desenvolvem o projeto de pesquisa acadêmica científica, no intuito de analisar o poder de abrangência dessa ferramenta nas organizações empresariais, indo além da contabilidade convencional que além de ser essencial em todas as empresas, também possui cunho obrigatório.

    Nessa edição, serão apresentados artigos desenvolvidos pelos discentes da disciplina de Auditoria Contábil da Faculdade de Jussara sob orientação da Professora titular, a Prof. Esp. Denise Barros. 

    Por fim, será apresentado também, um artigo convidado que versa sobre o Marketing, área em expsão cada dia ganhando mais destaque nas organizações.

     Desejamos a todos uma boa leitura!

  • Imagens de Mozarlândia/GO       Créditos: Débora Araújo

    REIVA (Julho a Setembro)
    v. 3 n. 03 (2020)

    APRESENTAÇÃO

     

    A divulgação interdisciplinar torna-se o fio condutor para a produção científica publicada pela Revista Reiva, sobretudo, considerando a importância dos conhecimentos elaborados longe dos grandes centros acadêmicos. Dessa forma, com a intenção de inaugurar tal proposta, apresenta-se nesta edição, do terceiro trimestre de 2020, artigos e Nota Científica que abrangem as seguintes áreas: Biologia, Linguística aplicada, Literatura em Língua Inglesa, Literatura brasileira contemporânea, Educação, Estudos linguístico com ênfase no ensino de Línguas Estrangeiras e História.

    Abre-se a edição com os registros acerca da existência de população de Anodorhynchus hyacinthinus (Latham, 1790), isto é, a arara-azul-grande, na cidade de Iporá, no Estado de Goiás, as condições de sobrevivência da espécie, as possíveis causas para sua extinção e ações de proteção para essas aves, dados dispostos na Nota Científica “Ocorrência de Anodorhyncus hyacinthinus em Iporá, estado de Goiás, Brasil”, dos autores Alex Batista Moreira Rios, Mateus França de Souza e Daniel Blamires. Nesse estudo, os autores enfatizam as condições ideais existentes na região do Oeste goiano para a permanência e para a reprodução da espécie, contribuindo para reflexão quanto a importância da preservação do bioma e da fauna nesta região.

    A autora Renata Herwing Moraes Souza, por meio de um estudo de caso, observa a recorrência de marcas da oralidade na produção escrita de alunos do Ensino Fundamental II. No artigo “Traços orais em textos escritos dos alunos do 9º ano do ensino fundamental: um estudo de caso”, há exemplificações da influência da língua materna oral na produção textual dos alunos, de modo a despertar a necessidade de um trabalho mais intensificado e com metas bem elaboradas quanto aos usos diversos da linguagem, sem, contudo, desconsiderar a bagagem linguística dos educandos.

    O artigo “Estética literária inglesa: Os elementos artísticos constituintes da épica medieval em Beowulf”, o autor Evandro Rosa de Araújo analisa os aspectos artísticos e estilísticos da épica medieval existentes no poema Beowulf, escrito provavelmente em 700 – 800 d.C. Por meio de elementos apresentados pela Teoria Literária, Araújo destaca aspectos da criação artística, dos fatores históricos, linguísticos e sociais que fazem desse poema narrativo um grande marco de surgimento da língua e da literatura inglesa.

    Em “Resistência e a percepção de si: O narrador-personagem em Cinzas do norte de Milton Hatoum”, a autora Analice de Sousa Gomes trata a narrativa contemporânea como um meio de reflexão sobre a identidade do indivíduo/personagem marcado pelo sentimento de não-pertencimento e em constante busca de si. Para tal, aponta a memória como recurso estético fundamental para expressão do ser nesse romance de Milton Hatoum.

    Com a intenção de debater as ocorrências do privilégio dos indivíduos brancos em detrimento dos negros, o autor Sadrack Oliveira Alves baseia-se na Lei 10.639/03 para promover ideias antirracistas no artigo: “Aplicação da lei 10.639/03 e as possibilidades de (re)conhecimento da branquitude”. Dessa forma, explica que a norma federal de inserção da cultura afro-brasileira em âmbito educacional transparece acerca da branquitude, ou seja, o fato de brancos estarem nos lugares sociais de poder gera racismo, e o racismo faz com que só brancos estejam nestes espaços, necessitando-se de determinação legislativa para que, no espaço, haja integração da cultura afro.

    Ao tratar do Ensino de escrita em Língua Inglesa em seu artigo “Perspectiva sociocultural e crenças de professores: a correção escrita em Língua Inglesa”, a autora Fernanda Rocha Bomfim Carvalho traz a perspectiva sociocultural e a atuação motivadora e afetiva do docente para conduzir o aluno à percepção de seus próprios erros. Assim, por meio de pesquisa de campo, adentra-se em salas de aulas do Ensino Fundamental realizando um trabalho de observação e diálogo com os docentes titulares, de modo a reconhecer suas crenças acerca do processo de ensino e aprendizagem de Língua Inglesa na escola.

    Para fechar esta edição, o autor Wilson de Sousa Gomes reverbera conhecimentos que perfazem a expressão sociológica da cultural brasileira analisando o pensamento de Fernando de Azevedo. Em seu artigo: “A cultura brasileira como forma de interpretação do Brasil: a dimensão orientativa em Fernando de Azevedo”, o autor evidencia a contribuição desse estudioso para a percepção e construção da identidade nacional e por meio de um viés historiográfico, reafirma a relação do presente como resultado do passado.

    Tratando-se de áreas diversas, nesta edição de tema livre, a Revista Reiva reúne tais textos científicos com o intuito de contribuir com o acesso aos resultados e reflexões abrangentes e necessários para os múltiplos campos do saber.

     

    Apreciem.

     

    Analice de Sousa Gomes

  • REIVA (Abril a Junho)
    v. 3 n. 02 (2020)

    Sabe-se que o convívio em sociedade se exterioriza a partir de variados contextos, abarcando inúmeros cenários em que se inserem os indivíduos. Seja no âmbito das relações de trabalho ou nas relações familiares, os fatos jurídicos, ou seja, os acontecimentos sociais que ocasionam consequências no mundo do direito, são eventos comuns.

    Ademais, os fatos jurídicos, como fatos sociais, acompanham o contexto social vigente à época de sua ocorrência, o que significa dizer que na medida em que a sociedade se altera, novas demandas jurídicas são necessárias para acompanharem o comportamento humano. Nesse sentido, seja no âmbito legislativo, por meio de decisões judiciais ou a partir de teses doutrinárias, o direito busca se adequar às novas realidades, o que incentiva as discussões acadêmicas sobre tais adequações.

    De alterações legislativas às inovações tecnológicas, buscando analisar temas recentes ou contextos recentes acerca de temas já sedimentados no ordenamento jurídico brasileiro, os acadêmicos do curso de Direito (turma de 2015) desenvolveram artigos que tratam acerca da proteção jurídica ao vulnerável, nos diversos cenários os quais este possa estar inserido.

    O termo “vulnerabilidade”, juridicamente falando, remete à carência, fragilidade de determinada pessoa que se encontra inserida em uma relação jurídica. Tal vulnerabilidade pode ser econômica ou circunstancial (de acordo com determinada circunstância).

    Seja o trabalhador, parte mais fraca da relação de trabalho; a parturiente, que se encontra em momento de fragilidade, submetida a procedimentos médicos antes, durante e após parto ou a própria população, que está sujeita às mudanças jurídicas, nem sempre eficazes em razão da ausência de conhecimento técnico, todos possuem como ponto comum a fragilidade em determinada circunstância.

    Assim, por meio de abordagem transversal, serão apresentados artigos de diferentes áreas jurídicas (Direito do Trabalho, Direito de Família e Direito Constitucional) com intuito de provocar reflexões, fomentar discussões e/ou apresentar os recentes entendimentos acerca da proteção dada ao vulnerável pelo direito brasileiro! Boa leitura!

    Prof. Mestrando Victor Fernandes

  • REIVA (Janeiro a Março)
    v. 3 n. 01 (2020)

    Compêndio de artigos de Contabilidade

     

    Os melhores Artigos de Conclusão de curso de 2019, como mérito, entrarão nessa edição especial de Ciências Contábeis.

     

    Parabéns aos autores e aos orientadores!

     

    Boa leitura!

     

     

    Profa. Graciele

  • REIVA - (Outubro a Dezembro)
    v. 2 n. 05 (2019)

    Nessa Edição, a REIVA trará aos leitores estudos de caso desenvolvidos pelos discentes da disciplina Contabilidade Ambiental. Nesses textos, os discentes discutiram a relevância da preservação e conscientização ambiental, através do desenvolvimento de Balanço Ambiental de cidades e instituições relevantes para a região do Vale do Araguaia.

    Teremos também um artigo convidado sobre Mediação, da área do Direito.

     

    Desejamos uma boa leitura!

     

    Profa. Me. Graciele Araújo de Oliveira Caetano

    Editora Chefe

     

     

     

    Boa leitura!

     

    Profa. Mestra Graciele Araújo de Oliveira Caetano

  • Contabilidade ambiental e do agronegócio na região do Vale do Araguaia
    v. 2 n. 04 (2019)

    Contabilidade Ambiental e do Agronegócio na região do Vale do Araguaia é a terceira obra oriunda do Projeto de Pesquisa e Extensão da disciplina Contabilidade Ambiental. Durante o semestre letivo, os discentes que cursam a referida disciplina, são divididos em equipes que realizam pesquisas, as quais posteriormente são organizadas em um livro, com o objetivo de tornar o conhecimento mais acessível à comunidade. A obra, publicada em formato de e-book, é o primeiro livro virtual disponibilizado pela Faculdade de Jussara – FAJ, no afã de reunir trabalhos que fomentam debates em torno da intrínseca relação entre agropecuária, desenvolvimento sustentável, contabilidade, a função social do conhecimento e a persistência da produção acadêmica.

     

     

     

    Desejamos boa leitura!

     

     

    Profa Mestra Graciele Araújo de Oliveira Caetano

    Editora Chefe - REIVA

  • REIVA - (Julho a Setembro)
    v. 2 n. 03 (2019)

    Prezados Leitores,

     

    Nesse número, apresentaremos ensaios de pesquisa orientados pelo Prof. Me. Geraldo Neto na disciplina Direito Ambiental.

    Além dos artigos voltados ao tema jurídico ambiental, teremos um artigo convidado na área de marketing, ciência em grande expansão na atualidade.

     

     

    Boa leitura!

     

    Profa. Graciele Araújo de Oliveira Caetano

  • REIVA - (Maio a Junho)
    v. 2 n. 02 (2019)

    Prezados leitores,

    Sejam bem vindos à terceira edição da REIVA do ano 2019!

    Nessa edição, serão apresentados artigos desenvolvidos pelos discentes da disciplina de Auditoria Contábil sob orientação da Professora titular, a Prof. Esp. Denise Cintra. 

    A Auditoria Contábil é uma área de estudo chave na formação do profissional contador. Através da realização periódica de auditorias, é possível fiscalizar a eficiência dos controles internos da empresa, o que garante a fidedignidade dos registros contábeis, além de dificultar possíveis desvios de bens patrimoniais.

     

    Desejamos a todos uma boa leitura!

  • REIVA - (Janeiro a Março)
    v. 2 n. 01 (2019)

    A Revista de Estudos Interdisciplinares do Vale do Araguaia é uma revista trimestral, de publicação eletrônica, de acesso livre, gratuito e irrestrito, direcionada aos profissionais, acadêmicos, egressos e docentes da área de Ciências Contábeis, Administração, Direito, afins e demais profissionais, estudantes e instituições interessadas.

    É um projeto da Faculdade de Jussara que objetiva fomentar a pesquisa e o pensamento científico. 

    Em nosso primeiro volume do ano 2019, a REIVA abordará aspectos como Perícia Contábil, Auditoria Contábil, Direito Ambiental e Civil, sendo os autores professores e acadêmicos da FAJ e de outras Universidades.

    Cabe aqui ressaltar que os artigos publicados não necessariamente expressam as opiniões da Instituição e/ou de seus responsáveis, sendo reservado ao conselho editorial o direito de arbitrar como refere e/ou de solicitar parecer de pesquisadores externos, para esse julgamento.

     

     

    Desejamos a todos uma excelente leitura!

1-25 de 27