v. 4 n. 01 (2021): REIVA (jan a mar)

APRESENTAÇÃO

 

Nenhuma instituição sobrevive muito tempo,

se não for capaz de reformar-se, adaptar-se

a cada instante às exigências do seu tempo,

mantendo-se fiel ao seu papel histórico.

 

Jacques Verger

 

Fazer ciência, produzir o conhecimento científico na pós-modernidade demanda um espírito de cooperação e um constante questionamento acerca dos eventos humanos e sociais.

Como assevera Novaes (2014), a ciência desponta em face da necessidade dos indivíduos de compreenderem os fatos e as manifestações do espaço natural a partir de avaliações que ultrapassam os critérios dos tempos medievais.  Se por um lado a ciência parte de métodos rígidos de experimentação e análise, o senso comum serve-se da convicção na existência do sobrenatural como um requisito da existência da verdade. Com o começo da Idade Moderna e o surgimento do positivismo, houve um momento de rejeição ao que era sobrenatural e à religiosidade e todas as definições de fé e revelação foram renegados, cabendo ao campo da ciência formatar uma nova manifestação sobre a existência, a natureza, o trabalho e o universo.

Nos tempos atuais, na confluência das teses científicas da modernidade e da pós-modernidade, procura-se enxergar uma sociedade marcada por um processo de descontinuidade, na tentativa de engendrar um pensamento que consiga investigar criticamente as experiências sociais, epistemológicas e cognitivas (VEIGA NETO, 1998). Afinal de contas, conforme declina Boaventura de Sousa Santos (2002), a modernidade é assentada num projeto com base nos pilares da regulação e da emancipação, prezando-se pela constituição da comunidade, do mercado e do Estado e a lógica da racionalidade, da liberdade e da subjetividade.

Foi pensando nestas transformações proporcionadas pelo espírito da ciência e do pensamento humano, que os acadêmicos do 8° período de Ciências Contábeis/2020 produziram os artigos científicos que contemplam esta edição: o conhecimento aqui investigado permite que se desenvolva uma constante reflexão sobre a função da universidade no cenário pós-moderno, num momento histórico-cultural em que as exigências e as demandas do mercado de trabalho são cada vez mais evidentes, sobretudo no universo contábil que observa e é afetado pelos desdobramentos do capitalismo global. A referida área, em sua essência, demanda o rompimento com uma visão simplista da Contabilidade e um chamamento por diálogos mais abertos, em face das irracionalidades do capitalismo moderno.

Ao analisar o cenário em comento, os acadêmicos Ney Vitor Paiva Mendonça em co-autoria com a Professora Especialista Denise Gomes Barros Cintra e Thiago Rocha de Jesus, em co-autoria com o Professor Bruno de Ávila Debom Rey desenvolveram suas pesquisas sobre as relações entre a história do trabalho e suas interfaces com a contabilidade, a perícia contábil e a evolução do trabalho do contador ao longo dos anos. No artigo Contextualização histórica do surgimento das leis trabalhistas no Brasil e sua correlação com o universo contábil: um diálogo teórico, Ney Victor e Denise trazem à baila às principais modificações das leis trabalhistas no Brasil, ao longo da história, apresentando sua evolução e os efeitos destas alterações no universo da Contabilidade. O artigo traz, através de uma revisão bibliográfica, visões anacrônicas e modernas das relações de trabalho e suas convergências com o texto constitucional de 1988, revelando sua pertinência do ponto de vista acadêmico, institucional e científico.

De lado outro, porém na mesma vertente do conhecimento, Thiago e Bruno desenvolvem a pesquisa intitulada Perícia Contábil e a tabela price: um estudo bibliográfico sobre as vertentes utilizadas pelo perito assistente na defesa de ações revisionais em face das instituições financeiras e nos mostra, de modo mais prático, o desenvolvimento de um trabalho importante no cenário de uma das profissões que esta ciência almeja: a do perito. De forma robusta, eles apresentam a pertinência da perícia contábil e do perito assistente nas ações judiciais revisionais propostas por instituições financeiras ou tendo-as no polo passivo da ação, nos financiamentos empreendidos sob a égide da tabela price, missão esta que demanda conhecimento técnico, impessoalidade e sintonia com o princípio da verdade real.

Se por um lado as investigações nos trouxeram estudos e debates sobre a história do trabalho com foco na Contabilidade, insta frisar que houve também uma substancial preocupação sobre a profissão do contador em face das tecnologias digitais da informação e da comunicação (TDICs). Os acadêmicos Ana Flávia de Jesus e João Pedro Aparecido de Oliveira, ambos em co-autoria com o Professor Clesiomar Rezende desenvolveram respectivamente as pesquisas intituladas Impactos e desafios com a nova obrigação acessória EFD – REINF e A implantação e os benefícios dos documentos eletrônicos pós SPED. Ambas as investigações mostram, com propriedade, práticas contábeis no contexto da pós-contemporaneidade, mediadas pelas tecnologias digitais, tão presentes no nosso cotidiano e que facilitam o acesso dos profissionais a uma grande variedade de informações disponíveis nas plataformas virtuais e que hoje reconfiguram a natureza e as relações profissionais.

Os artigos Contabilidade e planejamento tributário: um estudo sobre a redução da carga tributária para micro e pequenas empresas do acadêmico Antônio José Rebouças da Rocha e do Professor Especialista Djalma Aparecido de Brito,  Contabilidade de Custos: relevância e influência na gestão das empresas e auxílio na tomada de decisão empresarial, da acadêmica Elza Vitória Hemily Vieira Adriano e do Professor Especialista Clesiomar Rezende, O auxílio da Contabilidade para a tomada de decisões: um estudo teórico, da acadêmica Heloísa Alves Mesquita, em parceria com a Professora Especialista Denise Barros, Planejamento tributário: lucro real x lucro presumido do acadêmico Igor Gomes de Carvalho e do Professor Mestre Edson Júnior Santana e Planejamento tributário: conceitos e práticas, da acadêmica Nataly Pereira Arruda em co-autoria com o Professor Especialista Djalma de Brito trazem diversas contribuições no campo do trabalho e do planejamento na vida do contador, mormente em temas tão relevantes como tributação, gerenciamento e organização de uma empresa.

Guardam também consonância com um intenso trabalho de revisão bibliográfica os trabalhos A ITG 1000 nas micro e pequenas empresas: um estudo teórico de José Vinícius Mendes de Morais e da Professora Especialista Denise Barros, Tributação na Pecuária: peculiaridades entre pessoa física e pessoa jurídica de Rackel Ferreira dos Santos e da  Professora Mestra Graciele Araújo de Oliveira  e A importância das informações contábeis voltadas para às microempresas de Vinícius Andrade Silva e do Professor Especialista Djalma Aparecido de Brito, com abordagens sensíveis às Ciências Contábeis, como a nova reconfiguração da escrituração contábil na atualidade, formas alternativas de tributação e a temática afeta às informações contábeis e sua pertinência dentro das microempresas.

Subjaz à intenção de condensar os intentos dos autores das investigações acima, a ocasião para requestar aos leitores que naveguem nas análises e diálogos aqui empreendidos, a partir de estudos bem direcionados pelos autores e do desejo de usar o conhecimento para transformar o espaço em que vivemos. Aqui se desvela oportunidades de enxergar um intercâmbio de saberes na seara da interdisciplinaridade.

Faz-se mister destacar, e aqui chamo a minha condição de Professor de Trabalho de Conclusão de Curso, o imenso contributo da Professora Coordenadora Denise Barros, que não mediu esforços para incentivar os discentes na busca incansável pelo o que a ciência nos proporciona: mais do que conhecer livros e autores, ela nos possibilita enxergar formas alternativas de fazer do homem um ser mais humano, mais racional e mais consciente da sua função de partilhar e servir ao próximo. Muito obrigado, Denise!

Espera-se, pois, que esse conjunto de textos possa contribuir para a definição de caminhos individuais e coletivos capazes de fazer com que nossos acadêmicos realizem suas escolhas e sintam-se livres para decidir sobre suas vidas, especialmente no campo profissional.

 

                                                                                   Professor Sanderson M. Peixoto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicado: 22-01-2021

Edição completa

Artigos